20 outubro 2006
A PREVIDÊNCIA SOCIAL DE UATI. ( III )

Quando entrei no posto, senti algo estranho... O ar, impregnado com uma fumaça densa, parecia viscoso. Andar era um esforço cansativo e estranho. A cada passo, era como se o chão fosse feito de areia movediça. As pernas pesavam... era difícil enxergar à distância. Ao fundo, ouviam-se gemidos e grunhidos abafados, lamentações murmuradas e maldições lançadas como brasas fumegantes.

Figuras translúcidas esgueiravam-se por trás dos balcões onde deveríamos ser atendidos. Seres estranhos, sem face e sem pés visíveis. Pareciam flutuar no éter. Mas, eram ao mesmo tempo, aterrorizantes e enigmáticos. Pois sabíamos que, deles, dependia nosso futuro.

Fomos levados até o segundo andar do posto. Pelas janelas, podia-se vislumbrar o céu lá fora. E, apesar de estar um dia lindo, com o sol batendo nos verdes campos de UATI; a imagem que víamos (através delas) era de uma terra estéril e improdutiva. Era como estar no "LIMBO".

Ao chegarmos, fomos separados por origem: Trabalhadores comuns para um lado; trabalhadores do sistema financeiro para outro.

Na sala destinada às pessoas do sistema financeiro, havia uma figura indefinida, sentada numa cadeira de encosto alto e estofamento rasgado; que separava inúmeros envelopes contendo toda a história de vida daquelas pessoas.

Com um olhar inamistoso e aparentando enfado e nojo; a terrível criatura segurava em suas mãos os papéis e os separava (de acordo com uma ordem jamais revelada) um-por-um.

Após uma espera angustiante de várias horas (sem comer e sem beber água), a criatura grunhiu meu nome e, erguendo seu braço descarnado, indicou-me uma porta.

.

Nada me preparou para o que aconteceu ali...

.

Um homem (pelo menos é o que parecia), veio arrastando-se penosamente e sentou atrás de uma pequena mesa disposta num canto da sala. Esticou seu braço por cima da mesa e murmurou "- senta aí."

Apesar dos cumprimentos costumeiros (bom dia, como vai, etc) terem sido pronunciados por mim; a criatura continuou em seu silêncio sepulcral.

Quando ergueu sua cabeça para olhar-me, percebi horrorizado que ele não tinha olhos e sua boca era costurada. Notei, então, que a criatura comunicava-se telepaticamente.

Já tinha ouvido falar dessas criaturas. A resistência teria descoberto que, para dominarem as artes mágicas e as forças ocultas, visando evoluírem financeiramente; as criaturas haviam feito um pacto com as divindades mais perversas que existiam:

.

"OS DEUSES DE BANQ-EIR OZ."

.

Estes Deuses, por atuarem de forma ignóbil, obrigavam seus seguidores a arrancarem os olhos (para não ver o mal que causavam) e a cortar a língua e costurar os lábios com fios de fino ouro (para não revelarem os segredos ocultos).

Esse ritual de mutilação era feito num cerimonial chamado "CALAE BOCUS". Onde eram feitos sacrifícios humanos e muitas moedas de ouro trocavam de mãos.

Ninguém que tenha presenciado o ritual sobreviveu para contar. As informações divulgadas, só vieram à tona porque, uma dessas criaturas, quebrou seu voto de silêncio e revelou o que acontecia. Mas, ao falar; instantaneamente transformou-se em pó. Depois disso, ninguém nunca mais quebrou os terríveis votos.

A criatura que me fitava, com suas órbitas vazias, abriu sua mão e pegou o envelope em que eu trazia meus exames e laudos médicos. Tocou, levemente, com ele sua testa enrugada e (sem emitir qualquer som) começou a escrever num pergaminho.

Após terminar, entregou-me o escrito e apontou para a porta. Em minha mente, ouvi sua voz retumbar: “- Você deverá ser examinado por outros."

Sentindo o suor escorrer pela espinha, e um nó sufocante crescendo em minha garganta; dirigi-me para a recepção e entreguei o pergaminho para a outra criatura.

Olhando espantada para mim e para o pergaminho, pareceu não entender o que o "PERITO" havia escrito ali; esgueirou-se por um corredor auxiliar e voltou alguns minutos depois dizendo:

.

"- VOCÊ VOLTARÁ NA PRÓXIMA QUARTA-FEIRA.."

.

(CONTINUA)...


Marcadores:

 
posted by Lord Sarubiano at 10:20 PM ¤ Permalink ¤


1 Comments:


  • At 10/22/2006 08:12:00 PM, Anonymous cristal

    Nossa que ritual foi esse?"CALAE BOCUS" Amei a descrição,creiatura sem olho e de boca costurada foi demais haja criatividade pra sustentar um blog assim Lord você ja pensou em escrever um livro? ou ja escreveu algum? por que juro,você tem capacidade heim que tal uma biografia do Lord? Ficaria perfeita,Estou me sentindo em um dos livros de HP. Ta bom D+ vou pro próximo bjs